Boletim diz que houve evolução do quadro clínico e neurológico de Pedro

Estado de saúde dele é considerado grave, porém estável.
Cantor passou por novo exame para avaliar fluxo sanguíneo no cérebro.

Médicos dizem que houve evolução no quadro do cantor Pedro Leonardo Dantas, de 24 anos, segundo boletim divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês às 11h44 desta sexta-feira (27).  “Nas últimas horas, houve evolução do quadro clínico e neurológico, com melhora no resultado dos exames”, aponta o texto do boletim.

Ele continua internado na UTI, em estado grave, porém estável. O jovem, que sofreu um acidente de carro no dia 20, chegou ao hospital na tarde desta quinta (26), após uma viagem de avião que o trouxe de Goiânia. Ele respira com a ajuda de aparelhos e está em coma induzido.

Segundo os médicos, Pedro passou a noite sem intercorrências, ou seja, não houve alteração de seu quadro clínico, que é considerado grave, porém estável.

Nesta manhã, o cantor foi submetido novamente a um exame conhecido como doppler – espécie de ultrassom que mede o fluxo sanguíneo na cabeça. O resultado, segundo informou a médica Ludhmila Hajjar à TV Globo, é regular.

O inchaço no cérebro de Pedro é difuso, o que indica que não houve um afundamento do crânio – o cérebro do cantor como um todo está inchado e é preciso que ele desinche para se fazer uma avaliação do grau de comprometimento do órgão.

Funções renais
Segundo a assessora de imprensa do cantor Leonardo, Ede Cury, Pedro passou bem a noite e deve permanecer sedado. “Falei com a doutora Ludhmila, ela disse que ele teve uma noite bem tranquila, com a pressão normal. Hoje é um dia que pretende-se manter a sedação por causa da agitação da viagem de ontem [quinta-feira]. Ele respondeu bem a todos os medicamentos”.

A assessora informou que a melhora apontada no boletim médico divulgado no final desta manhã refere-se à estabilidade da pressão arterial do cantor. “A pressão dele se manteve bem estável, e isso já é um bom sinal. Ele tomou diurético e conseguiu realizar as funções renais. O objetivo hoje é manter o Pedro tranquilo”.

Os familiares de Pedro devem visitá-lo nesta tarde – Leonardo só deverá ir ao hospital a partir das 19h. A esposa do Pedro, as primas, a mãe e a irmã estão hospedadas nas proximidade do Sírio-Libanês, na Bela Vista. Os demais familiares estão na casa de Leonardo, em São Paulo. Além dos familiares, apenas o cantor Marrone visitou Pedro desde esta quinta-feira.

Ainda de acordo com Ede, o médico Roberto Kalil filho deverá se reunir com Leonardo todas as vezes que for necessário fazer mudanças no tratamento ou a realizar novos exames. Esses encontros serão feitos à noite, durante a visita do cantor ao filho.

Translado
Os médicos disseram nesta quinta-feira ainda que o traslado entre Goiânia e São Paulo em avião com UTI não apresentou complicações. O voo durou cerca de uma hora e meia – tempo maior que o normal, já que o avião voou em baixa altitude para diminuir os efeitos sobre o paciente.

, a ambulância que o transportou foi escoltada pela Polícia Militar e acompanhada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Pedro foi internado no Hospital Sírio-Libanês pouco antes das 17h. No hospital, ele é cuidado pela equipe do médico Roberto Kalil Filho.

O acidente
Pedro Leonardo sofreu um acidente de carro na rodovia MGC-452 no dia 20 quando voltava de um show. O acidente próximo município de Tupaciguara (MG). Ele foi inicialmente levado ao Hospital Municipal de Itumbiara, onde passou por cirurgia para conter hemorragia abdominal, e foi transferido no mesmo dia para Goiânia.

A mãe de Pedro Leonardo, Maria Aparecida Dantas, também esteve no hospital acompanhado a remoção do filho. Muito apreensiva, ela disse que está tentando pensar que o filho está indo para um show: “Quero pensar que ele está indo fazer um dos seus shows, que está me pedindo a benção, como sempre faz antes de viajar. Estou muito confiante e  entreguei nas mãos de Deus”.

Evolução do quadro
O paciente, que ainda está em estado grave, segundo Wandervan Azevedo, respondeu positivamente aos tratamentos desde que deu entrada no IOG. Há dois dias, as drogas que o mantêm em coma induzido foram sendo gradativamente diminuídas. Somente para a remoção, segundo o médicos, as doses tiveram de ser novamente aumentadas.

Exames mostraram também a diminuição do edema cerebral e uma melhora no pulmão. Devido a uma insuficiência renal, Pedro ainda passou por duas sessões de hemodiálise, com duração de oito horas cada uma, e, segundo Wandervan, respondeu ao procedimento sem complicações. “Nós estamos muito otimistas quanto à recuperação de Pedro, afinal ele apresentou duas intercorrências muito graves e reagiu muito bem.

g1.com

 

Anúncios