Em sua estreia no nordeste, Paul McCartney emociona 50 mil fãs em Recife.


Macca se surpreende e surpreende Recife com a turnê ‘On the run’
Foto: Divulgação/Marcos Hermes

Macca se surpreende e surpreende Recife com a turnê ‘On the run’ Divulgação/Marcos Hermes

RECIFE – Foram quase três horas de pura emoção neste sábado. Depois de enfrentarem um trânsito caótico, filas desorganizadas e até empurrões nos portões do estádio José do Rego Maciel, o Arrudão, mais de 50 mil pessoas entraram em delírio com o show mais aguardado do ano em Recife: com apenas cinco minutos de atraso – não tão britânico, mas rigorosamente pontual para os padrões brasileiros de cumprimento de horário – finalmente Paul McCartney entrou no palco. Foi a primeira apresentação da atual visita do ex-beatle ao Brasil e a primeira vez que ele passou pelo Nordeste. O show, com bilhetes esgotados, atraiu gente de todas as tribos e de todos os lugares do país. E Paul não fez por menos: “povo arretado”, elogiou. “Pernambucanos”, “ recifianos”, “I Love you”, dizia, em perfeita interação com a plateia no início da apresentação, que só terminou na madrugada desse domingo.
O cantor iniciou a sua apresentação com “Magical Mistery Tour”. Cantou cerca de 30 músicas e ainda deu uma canja, no final, entoando sucessos como “Day Tripper” e “Get back”, depois de desfilar no palco agitando a bandeira de Pernambuco e a do Reino Unido. Durante a apresentação, homenageou John Lennon e George Harrison – ex-companheiros de banda já falecidos – cantou “My Valentine” dedicando “para minha linda esposa” e mostrou que, apesar dos quase 70 anos, continua em forma, depois de trilhar 42 anos de estrada.
Desde a noite de sexta-feira já era grande a movimentação nas calçadas do estádio, onde dezenas de pessoas acampavam. No início da tarde, as filas começaram a se formar na bilheteria que abriram com mais de uma hora de atraso. Por volta de 18h30, a confusão era grande. Não havia organização, muita gente furou fila, o que resultou em tumulto.
– Foi uma bagunça incrível do lado de fora. Não tinha fila, se quisesse voltar ou sair dela não tinha como. Cheguei aqui empurrada – reclamava a advogada Jacira Barros, para quem o sacrifício tinha valido a pena no final do show.
Na noite deste domingo, Paul faz sua segunda apresentação (com ingressos ainda disponíveis) em Recife, cidade que escolheu para ficar hospedado, apesar de ter sido disponibilizada estadia em um resort da praia de Porto de Galinhas, no litoral sul. Sem revelar seu nome, o motorista que conduziu o artista na capital o ex-beatle surpreendeu-se com o tamanho de Recife. Julgava que fosse uma cidade pequena.
De Boa Viagem (na zona sul) – a praia mais sofisticada do estado com arranha-céus à beira mar – ele foi transportado para o bairro do Arruda (na zona norte), onde as quase 50 mil pessoas que aguardavam a abertura dos portões respiravam o ar fétido de um esgoto a céu aberto, proveniente de um canal que passa ao lado do Arrudão. “Boa noite, pernambucadô. Esta noite, vou falar um pouco em português. Mas vou falar mais em inglês”, Inglês ou português, o delírio do público foi um só. De Recife, o cantor viaja para Florianópolis, onde se apresenta dia 25 de abril.

As informações O Globo Cultura.